quarta-feira, 5 de agosto de 2015

E hoje acordei mais velha.


E hoje acordei... mais velha!

Um ano que que muita coisa aconteceu, boas e más é claro como todos. 
Mas este ano ficará para sempre na minha memória, não por ter completado meio século de vida, mas porque faleceu o meu irmão tão jovem.  
Um ano para esquecer!  














Cortar o tempo.



Quem teve a ideia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial.

Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos.
Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra diante vai ser diferente.

Sem comentários:

Enviar um comentário