sábado, 17 de setembro de 2016

Hoje.

A minha mãe vive a cinco quilómetros de mim, todos os dias lhe telefono várias vezes e sempre que posso vou lá, ao fim de semana é certo lá ir, durante a semana às vezes. 

Hoje levantei, fui tomar o meu café obrigatório da manhã, vim a casa almoçamos e no fim fomos para lá. Fiz-lhe uma panela de sopa, arranjei alguns legumes para congelar que eu lhe tinha levado, temperei umas costeletas para o jantar, descasquei batatas para fritar, fiz arroz, arranjei alface, enfim, tratei de tudo o que era necessário. No meio destes trabalhos, houve sempre conversa, a minha mãe tem sempre conversa :) sempre que lá vou, falamos de tudo um pouco, adoro ir lá, não só porque foi onde vivi grande parte da minha vida, mas principalmente para a ver e estar com ela. 

Ela sofre de alguns males, anda com canadianas, tem muitas dores, mas está sempre bem disposta. 

Pouco se queixa e adora quando nos vê lá. Até parece que por momentos esquece a doença. Tem 79 anos, mas tem uma mente tão, ou mais aberta que uma jovem de 20 anos, já passou muito, como quase todas as pessoas de geração dela, mas fala e entende tudo o que se passa hoje, e fala de tudo sem preconceitos. Alem disso ainda tem sempre disposição para dar um apoio, uma palavra de incentivo, dar conselhos, mas também dizer!Tu és doida, quando lhe digo algo que ela acha que não estou a fazer bem.

A minha Mãe é sem dúvida a pessoa em quem eu confio plenamente, aquela em que eu sei que posso confiar tudo, que eu posso dizer tudo e onde ainda hoje, depois de já ter vivido meio século de vida, lhe peço conselhos.

Lá fiz o jantar, o meu irmão e o mais que tudo puseram a mesa, levámos tudo e fomos jantar, já era noite e já estava a ficar frio. Nem há tempo de olhar para a televisão, porque há sempre algo para contar.

A minha Mãe, agora senta-se na “cabeceira” da mesa, o meu irmão do lado esquerdo dela, eu e o mais que tudo do direito. A minha irmã não foi, ficou na casa dela.

Faltam lá aquelas pessoas em presença física, mas para nós estão lá sempre. 


Não se fala muito sobre eles, principalmente sobre o meu irmão mais velho, que partiu recentemente, mas todos em silêncio falamos para eles, ninguém o diz, mas eu sei!

Jantamos, acartámos a loiça para a cozinha e eu comecei a lavar a loiça.O meu irmão foi arranjar-se para sair e ficámos eu, ela e o mais que tudo, a conversa continuou.

Eram 22 horas quando viemos embora, ela vem sempre à rua ver-nos partir (diz que é para ter a certeza que vamos mesmo) :)

Que mais posso querer para ser feliz?

Nada! tenho a minha mãe, dois irmãos e o mais que tudo que me adora também!


Como disse Mahatma Gandhi: Não existe um caminho para a felicidade, a felicidade é o caminho.

E é por esse caminho que tento ir sempre, estar com quem me quer bem, enquanto poder, para assim ser feliz. 






20 comentários:

  1. Uma bonita idade. é bem quando a família está unida.


    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  2. É maravilhoso quando há todos esse amor e união *.*

    ResponderEliminar
  3. Este post comoveu-me. E em breve vais entender porque...
    Continua assim, hoje ele, amanhã nós!

    ResponderEliminar
  4. r: Ainda bem que gostaste, fico contente :D
    Obrigada e igualmente*

    ResponderEliminar
  5. Fico imensamente feliz por teres uma boa relação com a tua mãe!! Desejo-te uma excelente semana,fica bem,querida amiga!!

    ResponderEliminar
  6. É um sentimenro maravilhoso!! =)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É sim Chica e eu quero aproveitar todos os momentos.
      Beijinhos

      Eliminar
  7. Tão bonito Nina. Temos de as mimar enquanto podemos. A minha também vai fazer oitenta, já viveram muito e precisam de nós de roda delas :) Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enquanto podemos e elas cá estão GM.
      E pelo menos tento estar o mais que posso junto dela.
      Beijinho

      Eliminar
  8. Este post esta cheio de ternura. Acredita que sinto o mesmo pela minha mae, so e pena estar tao longe dela, e gostava que ela aos 64 anos tivesse a mesma lucidez que a tua mas as ultimas perdas teem sido muito seguidas e os desgostos de pessoas muito proximas tambem, mas como ela propria diz, vai levando um dia de cada vez, gostava que ela tivesse a lucidez com que a mae dela morreu com a bonita idade de 96 anos, a ver vamos :)
    Continua assim :)
    Bjinhosss
    https://matildeferreira.co.uk/

    ResponderEliminar
  9. São momentos assim tão simples e aparentemente tão corriqueiros que conseguem conter toda a felicidade do mundo. E não vale a pena perseguir "felicidades" se não se conseguir apreciar momentos destes.
    Eu também consigo ter momentos assim. E é tão bom como tu descreveste.
    Beijinhos :*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E eu tento apreciar cada momento Catarina, só assim sou feliz.
      Beijinhos

      Eliminar